10 anos de Shaman Tribal Co. com Las Nieblas

0
29
views
Fotos por Anna Jéssica
 
Paula Braz e Cibelle Souza, diretoras e fundadoras da Shaman Tribal Co., comemoram neste ano uma década de parceria-sociedade-casamento, como publicou Paula em seu perfil nas redes sociais.
Paula Braz e Cibelle Souza, diretoras e fundadoras da Shaman Tribal Co.
“10 anos de construção estética, pesquisa, muito treino e muito amor. 10 anos construindo laços profundos com um grupo de mulheres em que a base é o respeito e o combustível é a recíproca admiração na vida vida e no palco.”
E o resultado deste trabalho árduo foi transmitido no espetáculo Las Nieblas, apresentado dia 22 de novembro de 2016 no Teatro Riachuelo (Natal/RN). Segundo Paula, além de dirigir o espetáculo, Cibelle Souza assina boa parte das coreografias, dos figurinos e do cenário digital.

Las Nieblas

Teaser do Espetáculo Las Nieblas
“Era uma vez uma mulher. Essa mulher vivia com os pés na terra e a cabeça nas nuvens, possuía todos os atributos de uma deusa. Era humana e ao mesmo tempo divina e havia algo de selvagem em seus olhos que nenhuma civilização ou religião poderiam domar (…) elas recebem o dom de dispor de uma observadora interna permanente, uma sábia, uma visionária, um oráculo, uma inspiradora, uma intuitiva, uma criadora, uma inventora e uma ouvinte que guia, sugere e estimula uma vida vibrante nos mundos interior e exterior.”
Inspiradas nessa mulher de Clarice Pinkola Estés, em “Mulheres que correm com os lobos”, e em tantos outros fortes arquétipos da mulher em diferentes tempos e culturas, a Companhia Shaman Tribal levou ao palco do Teatro Riachuelo (Natal/RN), no dia 22 de novembro, o espetáculo “Las Nieblas”, que este ano contou também com seu elenco de São Paulo em comemoração aos 10 anos da Companhia.
A proposta era de um espetáculo cheio de boas surpresas, muita música e dança, tudo representado exclusivamente por mulheres, espelhadas em mitos e lendas de diversas tradições para representar o poder da união feminina e a beleza que existe dentro de cada arquétipo. O espetáculo trouxe ainda um ar mais ritualístico, em contato com a natureza, mostrando diversidade de criação e possibilidades dentro do estilo que representam: a dança étnica contemporânea conhecida como Tribal Fusion.

Sobre a Companhia

Bastidores do Espetáculo Las Nieblas
Com núcleos em dois estados brasileiros, a Companhia de Dança Shaman Tribal desenvolve, desde 2006, trabalhos de pesquisa para composição coreográfica, formação de corpo de baile e estudos sobre o estilo adotado pela companhia, a dança étnica contemporânea conhecida como Tribal Fusion.
Juntas, somam apresentações e workshops em diversos estados brasileiros e em Buenos Aires, Argentina. Foram as pioneiras do estilo no Rio Grande do Norte, na cidade de Rio Claro/SP, e responsáveis pela disseminação do estilo na cidade de Brasília.
Premiada em importantes festivais, incluindo prêmios como “melhor bailarina” (SP), “melhor grupo do festival” (SP) e “melhor coreografia do festival” (RN), a companhia soma atualmente, 22 integrantes no corpo de baile, além das colaboradoras na assessoria de imprensa e comunicação, assessoria de mídias sociais, núcleo de figurinos e cenário digital.

O Estilo Shaman

A Companhia também esteve presente no Tribal Fest 13, um dos maiores festivais internacionais de Dança Tribal que existiu, com a coreografia “Carcará”.
A Companhia Shaman Tribal desenvolveu um estilo próprio, dentro do estilo Tribal, fundamentado por um trabalho intenso de pesquisas, utilizando-se de estéticas distintas, colagens e alternando técnicas próprias do estilo a movimentos da vida cotidiana, utilizando-se de elementos cênicos reais e muitas vezes orgânicos como água, terra, sal, fogo, incensos, entre outros, assemelhando-se aos trabalhos interativos dos anos 60. O sincrotismo e a bricolagem são elementos fortemente percebidos nas composições coreográficas, nos figurinos, nas maquiagens e nas trilhas sonoras.
Signos, símbolos, mitos e representações das antigas religiões matriarcais geraram personagens arquetípicos da esfera feminina e a dança como ritual se tornou marca registrada da companhia.
Danças populares brasileiras como a Dança dos Orixás, Caboclinho e Cavalo Marinho são fontes de estudo para a companhia, que delas adotam muitos movimentos, adaptando-os e remodelando-os para o estilo Tribal.
O Teatro Burlesco e sua sensual irreverência também foi fortemente estudado pela companhia, sendo fonte de inspiração para suas coreógrafas.
Facebook Comments

Previous articlePor quê precisamos de uma Tribo
Next articleDos Ombros para os Quadris

Formada em Comunicação e movida pela Dança, Melissa Souza é dançarina, pesquisadora e produtora na área da Dança Tribal, blogueira-criadora do portal Tribal Archive e integrante do Movimento TranscenDance, que realiza intervenções e oficinas em festivais de cultura alternativa.

SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here