Bragança Paulista recebe 1º Encontro de Dança Tribal

0
82
views

Idealizado por Isabel Botelho, o 1º Encontro de Dança Tribal de Bragança Paulista aconteceu em 03 de junho de 2017 no Centro Cultural Geraldo Pereira e recebeu representantes da cena tribal e simpatizantes pela dança de diversos locais da região, dentre eles, São Paulo, Campinas, Guarujá, Mairiporã, Atibaia e Várzea Paulista.

Isabel Botelho é instrutora de  yoga e dança tribal em seu próprio estúdio de dança, localizado em Bragança Paulista/SP. Estudou Hatha Yoga, Yoga Clássico e Yogaterapia pela Escola Humaniversidade Holística e American Tribal Style, Tribal Fusion e Tribal Brasil com Liliam Kawamoto, Gabriela Miranda e Kilma Farias, respectivamente.

Para saber mais sobre  sua trajetória na dança, confira seu depoimento na íntegra para o portal Mulheres que Dançam.

O encontro teve início com uma oficina de yoga onde os participantes puderam conhecer os pranayamas, kriyas, mudrás e ásanas do hatha yoga com finalidades específicas para a dança. Isabel Botelho reforça que para incluir o yoga na dança tribal não basta apenas aprender algumas ásanas (posturas), mas iniciar seus estudos em yoga verdadeiramente – como deveria ser feito com qualquer outra linguagem que a dançarina deseja adicionar à sua mescla – afinal, o yoga está muito além do que simples posturas.

Em seguida, Dayeah Khalil (Guarujá/SP) ministrou uma oficina de isolamentos musculares, um dos pontos altos da dança tribal, com possibilidades combinatórias de movimentos de braços, ombros, busto e quadris através de contrações seguidas de relaxamentos. Apesar de ser direcionada para iniciantes na dança, a aula aborda uma revisão interessante de movimentos básicos na dança tornando-se um objeto de estudo importante para dançarinas mais experientes e até mesmo para professoras.

Devido à indisponibilidade de tempo, a oficina de Fusion Fit foi cancelada, bem como a apresentação de vídeos por Melissa Art, dando sequência à Mostra de Dança, onde solistas, duplas e grupos trouxeram ao palco diferentes vertentes da dança tribal. A mostra teve início às 18h e se estendeu até às 21h, com a Sisterhood Project encerrando a noite. Confira uma compilação das atividades e apresentações do evento:

Pode-se dizer que o evento foi uma grande realização para Isabel Botelho, que providenciou a utilização do espaço e o decorou com tanto esmero. A organizadora também reservou uma sala para as dançarinas com bebidas, frutas e salgadinhos. Durante a mostra de dança, Isabel anunciou a entrada de cada participante de uma forma muito carinhosa e não se esqueceu de agradecer a cada participante, espectador e contribuinte presente.

A secretaria de cultura da cidade teve ciência da realização do evento e o apoio e divulgação necessários para a realização da próxima edição está garantido. Sem fins lucrativos, o evento tem como objetivo propagar o cenário da dança tribal na região. Para a próxima edição, a organizadora também está estudando a possibilidade de tornar o encontro um evento beneficente.

Melissa Art

Melissa Art

Leonina na casa dos 20, Melissa Souza é natural de Jundiaí/SP, mas o coração é de Minas. Produtora e jornalista, atua com assessoria de mídias digitais para empreendedores e artistas.
Melissa Art

Últimos posts por Melissa Art (exibir todos)

Liked it? Take a second to support Tribal Archive on Patreon!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here